sábado, 7 de julho de 2007

Agindo como nunca, matando como sempre

Hoje...
De repente a política de segurança do governo do rio vem sendo elogiada como uma das maravilhas do mundo. Tem aplauso pro secretário de segurança e 1ª página pro soldado-exemplo cujo sonho é matar iraquianos. Tem um governador onisciente que já elucidou aos desinformados que todos aqueles 19 passados no Alemão eram bandidos. Sérgio Cabral se elegeu com apoio dos Garotinhos ( alguém falou em pacto silencioso de não agressão?) cuspindo contra tudo isso que estava aí, bizarro se não fosse brasil, chegou a falar sobre liberação de maconha pra dizer depois que o Rio não pode brincar de Amsterdã. Já de Bagdá é à vera, nada mudou. Cabritinho berra a mesma cartilha de sempre, bandido bom é bandido morto a qualquer custo. Oficializou a guerra e revogou as balas perdidas, quem cair é marginal. É tão evidente a continuidade que o atual governante já faz por merecer a alcunha do antecessor, coronel bolinha, repara lá como o novo garoto tá gordo feito um major. Sei, políticos têm boca livre e mesa farta, como se não bastasse ele ainda pode alegar que parou de fumar, mas nisso nem a esposa dele acredita.

41 comentários:

Ana Claudia Holanda disse...

vc faz este tipo de piada idiota e alienada, porque nunca teve nenhum parente vitima desse monstro denominado tráfico, que apodreceu o Rio de Janeiro. apesar de viver no Rio, você não passa de mais um "sabichão dono da verdade", assistindo a violência da sua tv e dos jornais, e pagando as suas contas as custas dela.

Leonardo disse...

Charge não é só piada, Ana Claudia, se eu faço é porque me sinto no direito e ainda bem que não dependo da sua autorização. Por sorte os tiroteios em meus caminhos são eventuais e nunca tive minha residência invadida por policiais ou traficantes. Se o fato de viver em relativa segurança(não posso dizer isso de todos os meus próximos, sinto lhe decepcionar) me desautoriza a ser contra a matança indiscriminada, acho que o alienado não sou eu. Longe de absolver o tráfico mas o tal "monstro" tem muitas cabeças e se não pudermos cobrar responsabilidade a quem pagamos os salários vamos exigir consciência de quem, dona sabichona? Sou apenas um cartunista, a pecha de "sabichão dono da verdade" eu aceitaria como piada mas vc parece não levar jeito pra isso. Acompanho o noticiário(e não só) com o mínimo de senso crítico, tarefa cada vez mais indigesta por ainda não estar anestesiado pela macabra rotina das tragédias que nos cercam. Claro que eu preferiria desenhar passarinhos mas infelizmente tenho visto poucos e como eu não negocio armas, não vendo equipamentos de segurança, não faço parte de grupos mafiosos (políticos ou privados), não sei de onde você tirou que eu pago minhas contas às custas da violência. Se meu humor incomoda pelo menos não mata.

Arnaldo disse...

V�timas da viol�ncia s�o diferentes das v�timas da viol�ncia policial, vou anotar. Ana, pergunta pra sua empregada se n�o teve um parente v�tima da segunda - ah, claro, vc deve achar que n�o existe favelado inocente...

Daniel disse...

Cartunista é um ser engraçado. Não faz porra nenhuma pela sociedade e se acha no direito de criticar alguma coisa. É facil ficar fazendo desenho estúpido enquanto pessoas são mortas pelos traficantes. Acho que a polícia tem que matar mesmo. Senão fica na cadeia consumindo dinheiro público e fazendo falso sequestros de dentro das celas.

Wys disse...

Comentarista de blog é um ser engraçado. Não faz porra nenhuma pra mudar a sociedade e critica um cartunista que vê no desenho uma forma de extravasar sua frustração com o que acontece. E ainda posa de conhecedor da natureza humana porque ele - oh, ELE - não vê graça em um desenho cujo cartunista sequer pediu opinião.

Isso é a tal de internet.

Leonardo disse...

É isso aí Daniel, a função do cartunista também é ser engraçado, a priori cartunistas não têm nenhuma obrigação para com a "sociedade", não venha querer impor suas limitações por aqui. Responsabilidade social eu tento cumprir como cidadão e como qualquer pessoa, alfbetizada ou não, me acho no direito de criticar o que bem ou mal entender, você não? Se parece fácil desenhar sobre a estupidez humana, por que não tenta? Uma dica, comece por você mesmo(nada pessoal, somos todos risíveis) e vai ver como é difícil competir com a própria ignorância, que dirá a dos outros. Achar que ação de extermínio é função da polícia dá bem a noção da sua imbecilidade e se te preocupa o consumo criminoso de dinheiro público qualquer idiota já deveria saber que o alvo é outro. Considere isso ou se filie ao partido nazista mais próximo à sua casa, só não conte com o meu voto.

Andre disse...

Essas pessoas que ficam criticando o cartunista... porque vocês não fazem alguma coisa em vez de ficar criticando? Achou ruim? Faz melhor! Ou melhor, faça alguma coisa!

Leonardo disse...

que critiquem, André, nada contra, afinal não estou aqui para agradar ninguém. O que me incomoda é a boçalidade dos argumentos, vai vendo o raciocínio torto da suposta classe privilegiada desse país, gente com acesso à internet totalmente desconectada da realidade. Preocupante esperarmos alguma coisa daí...

Vitor disse...

Sou contra a idéia do bandido bom é bandido morto. Mas também não acho que deixar a situação como está agora (bandido reinando em morro), é algum tipo de solução. Os traficantes declararam guerra? O estado deve combater. Com responsabilidade, afinal "estamos dentro da lei", ou pelo menos deveríamos estar. Polícia matou inocente? Que pague por isso, sendo o comandante da PM o responsável, se bobear junto com o governador. Conheço os métodos bizarros da políca brasileira, sei que são qualquer coisa próximo da brutalidade sem sentido, mas algo deve ser feito, aye?

Robson de Oliveira Brigido disse...

Compartilho da mesma opinião do Vitor. É guerra, é fato... mas mesmo nas guerras mais cruéis, existe um "código", existem "regras"... E, não obstante, estas regras são, ao fim e ao cabo, a única coisa que diferencia a violência gratuita desferida pelos criminosos oficiais, da violência que temos (infelizmente) que desferir para combater esta violência - o problema, aqui, é nos perdermos nas regras que a legalidade impõe, e acabarmos nos tornando criminosos extra-oficiais.
Utilizar o argumento de que "bandido bom é bandido morto" só traria como resultado exatamente isto: tornaria o Estado um bandido "extra-oficial", e não teríamos mais como diferenciar bandidos de mocinhos. Não que o maniqueísmo seja a solução dos nossos problemas, mas...
...infelizmente, talvez este seja um raciocínio demasiado tardio. =/

Diogo Slov disse...

deixa eu ver se eu entendi: o problema eh a VIOLENCIA e quem recebe as criticas eh o CARTUNISTA?

desde quando apedrejar o mensageiro passou a resolver o problema?

[]s

Eduardo Augusto disse...

O problema é que o cartunista está dando uma de crítico de música. Aqueles que reclamam que tem viradas de mais nas músicas ou que insistem em encontrar defeitos em tudo. Claro que criticar é mais fácil do que fazer. Quem faz, pode fazer merda.

Daniel disse...

wys, primeiramente é mentira que o cartunisa não pede opinião. Se ele não quisesse ouvir opinião, faria os desenhos dele num caderno e guardaria no armário. Se ele posta os desenhos e disponibiliza um link de COMENTARIOS, significa que ele quer ouvir opiniões. A minha opinião não é de matar todo mundo e ponto final. Só acho ridiculo criticar a policia. Em toda guerra existe baixa de inocentes. Mas acontece, que é mais fácil fazer um desenho criticando do que falando bem.

Jose Geraldo disse...

Gostei muito dos cartuns. Belo trabalho. Não ligue para o que os babacas dizem, eles gostam de dizer muito, mas não dizem nada. Te pus nos meus favoritos. A propósito, além do site, em que revista ou jornal você publica? Quero prestigiar.

Leonardo disse...

"Crítico de música"!? Devagar com a futilidade, eduardo augusto, não é por aí que a banda podre toca. Se não te incomoda um estado que incentiva o assassinato, azar o seu, mesmo que vc se sinta protegido em seu condomínio de segurança máxima, satisfeito com o playlist do seu ipod, o problema continua sendo nosso. Charge é crítica baseada em fatos, vá procurar saber pra criticar com alguma consistência. Meu trabalho é esse, não preciso insistir para encontrar defeitos em tudo (em que planeta vc vive?) e tenho consciência da minha imperfeição mas entre meus erros não constam atos de extorsão, tortura, homicídio,etc. Que eu saiba isso seria crime mesmo que eu fosse policial ou militar. Minha crítica não é gratuita nem escolhe facção, sobra carga tanto para os de cima quanto para os de baixo, malho a política de segurança(causa) mas não por isso tenho que deixar passar em branco o despreparo policial(efeito). Já tive problemas por desenhar sobre a má remuneração e condições precárias do trabalho policial como já fui elogiado por criticar os interesses políticos que interferem na corporação, nos dois casos as manifestações partiram dos próprios policiais. Como se vê, contra ou a favor depende do ponto de vista. Das charges deste post, a única recente é a primeira, note que a crítica é acima de tudo ao governo, a polícia só aparece pra fazer os furinhos, não adiantou nem escrever um texto para explicar. Abaixo do "ontens" estão algumas charges publicadas nos últimos 10 anos referentes a diversas situações que se repetem ao infinito, tanto que parecem cartuns de tão corriqueiras(a do camburão com forca, por exemplo, é do caso do ônibus 147), ou seja, não é tão fácil falar bem e mais difícil desenhar sobre as mesmas tragédias sem se repetir. Todas estas charges saíram no jornal Extra, josé geraldo, onde eu publico de segunda à segunda. Pra terminar sou contra qualquer guerra quanto mais uma inventada por razões políticas e motivada pela incompetência oficial, quem embarca nessa com certeza já escolheu o seu lado, mas no brasil oficial X brasil real todo mundo sabe onde estão os piores inimigos.

Sidnei disse...

O cartunista é um gênio que consegue mostrar a tragédia de um modo irônico, mas sem perder a seriedade. O cartum é um protesto e Ziraldo, Henfil, entre tantos outros, o usaram muito bem no perído ditatorial. O comentário da Ana mais parece uma defesa da bandidagem, incluindo polícia corrupta, do que a expressão da dor pela situação presente. Parabéns ao autor pelo traço e pelas sacadas geniais.

Felipe disse...

Nossa, q povo mais problemático... criticar cartunista é o fim da picada. Finalidade zero.

eununfo disse...

à Princípio gostaria de parabenizá-lo pela qualidade do seu trabalho , você tem um estilo muito próprio , tem futuro ; PORÉM O QUE VOCÊ EXPRIME EM SEUS DESENHOS SÃO TOTAIS INVERDADES DITADAS PELA MÍDIA SENSACIONALISTA QUE VOCÊ DEVE ESTAR ACOSTUMADO A ASSISTIR , SEMPRE COLOCANDO O POLICIAL COMO ASSASSINO E CORRUPTO , COMO EM QUALQUER LUGAR EXISTEM TAIS , PORÉM NÃO PASSAM DE MINORIA .ALGUM DIA VOCÊ DEVERIA FAZER UMA INCURSÃO POR UMA FAVELA , GARANTO QUE SE VOcê NÃO FOSSE COMPRAR DROGAS ,O QUE PARECE SER BEM CARACTERÍSTICO DE QUEM DEFENDE BANDIDO , TENHO CERTEZA QUE ESTARIA MORTO , E SUA FAMÍLIA ESTARIA SEM O HOMEM MANTENEDOR , MAS PELO QUE VEJO VOCÊ NÃO TRABALHA , PORQUE SE TRABALHASSE NÃO PERDERIA TEMPO PENSANDO EM VERDADEIRAS "asneiras", PROCURE SABER DA VERDADE , ABRA SUA MENTE , DEIXE DE SER MAIS UM CORDEIRINHO ALIENADO PELAS IDÉIAS DA TV GLOBO.

Luís Fernando Wiltemburg disse...

ôrra! Pelo que percebi, o analfabetismo está tão crítico que tem gente que não tá entendendo nem desenho...

Ítalo disse...

É curioso como há pessoas que se deixam levar por opiniões sem contextualização. A Realidade do Rio é algo que tem que ser tratado como um problema crônico que está se alastrando na sociedade causando sofrimento, insegurança, corrupção... O cartunista quis mostrar por meio de uma charge sua indignação, assim como muitos gostariam de demonstrar e não sabem como, ainda assim os que tentam as vezes são sufocados pela imprensa controlado por ideologias editoriais. É complicado ser criticado por alguém que não conhece nem superficialmente o que está falando. Muito boas as charges. parabéns!

Leonardo disse...

eununfo, a princípio eu sou um chato mesmo, poderia estar roubando, matando ou até mesmo pedindo seu voto, ao invés disso preferi gastar meu tempo achincalhando algumas "minorias". Todo mundo sabe(menos eu) que policiais despreparados são minoria, que políticos picaretas são minoria e que comentaristas de blog analfabetos são uma minoria maior ainda. Vá entender então como tão poucos fazem tanto barulho. Não se incomode em tentar me explicar, pode continuar com seu sono tranqüilo. Não sei se desarranjo mental tem tratamento, em todo caso evite abrir sua mente assim em público mesmo que isso não te cause nenhum constrangimento. Quero acreditar que faço parte da maioria(ou minoria?) que ainda conserva certos pudores e um mínimo de boa vontade para com o próximo, daí sugiro que leia e examine suas teses, caso persistirem os sintomas procure o seu médico.

Lucilia disse...

Eununfodo, ‘INVERDADES’ ??? ‘MINORIA’??? VOcê mora no Brasil? ‘HOMEM MANTENEDOR’??? ‘DA VERDADE’??? A sua VERDADE não bate com a realidade que vivo; eu e todo mundo que conheço temos medo de polícia. Não acho isso normal. Eu moro junto a favelas e corro risco de morte, tenho medo de polícia pois vejo pessoas inocentes sendo assassinadas covardemente por policiais militares. A grande maioria é corrupta, camarada!! Acorda, rapaz!!!

Faço minhas as palavras do Ítalo.
[É o Ítalo Marsili ?!]

Leo, incrível como vc ainda tem que ouvir que ‘NÃO TRABALHA’! Parabéns por conseguir não se anestesiar, quem sabe um dia o brasil muda do vinho pra água, ou melhor, pro suco de uva... contra radicais livres e bom pro coração. Obrigada querido, vc alimenta minha esperança sobrevivente. Beijão!

eununfo disse...

valeu criançada socialista !!!

"hasta la vitoria siempre"

eununfo disse...

de qualquer forma o seu traço é bonito , vocÊ é um bom cartunista , só não concordo com o conteúdo , mas te desejo sucesso.

Ítalo disse...

Acho que uns ainda não entenderam o significado da palavra CHARGE, para elucidar tais: Charge é um estilo de ilustração que tem por finalidade satirizar, por meio de uma caricatura, algum acontecimento atual com uma ou mais personagens envolvidas. A palavra é de origem francesa e significa carga, ou seja, exagera traços do caráter de alguém ou de algo para torná-lo burlesco. Muito utilizadas em críticas políticas no Brasil. Apesar de ser confundido com cartoon (ou cartum), que é uma palavra de origem inglesa, é considerado como algo totalmente diferente, pois ao contrário da charge, que sempre é uma crítica contundente, o cartoon retrata situações mais corriqueiras do dia-a-dia da sociedade.

Lucilia disse...

Ítalo, perdão por ter te confundido com outra pessoa... parece que 'o cartum tem caráter atemporal e a charge é baseada em um fato e tem seu entendimento comprometido pelo tempo e/ou espaço', sendo assim, os desenhos do 'Agindo como nunca, matando como sempre', assim como os da 'biografia interrompida', deveriam ser charges por ser Brasil, né? Agora, quanto à temporalidade, não sei...

Eununfo, "vitoria" em espanhol é com cê e em português leva acento agudo... boa sorte!

Victor disse...

Chocado... mas não deveria... o Brasil é assim...
É incrível como a sociedade humana se repete e não aprende.
Dizem que o problema é a educação, eu acredito.

Paulo disse...

Meu Deus, ou o povo não entende mais porra nenhuma ou então quer esconder o que acontece e se alguém nos lembra dos problemas da nossa sociedade, numa charge por exemplo, já vem imbecil criticar.

Porra em que país vocês vivem? O que precisa acontecer pra vocês pararem de não querer ver a realidade e tirar a bunda gorda da cadeira pra mudar alguma coisa?

Todo mundo adora zuar argentino, mas eles são os primeiros a sair na rua quando não aceitam alguma coisa no país deles.

Aqui o governo caga na nossa cabeça, ri e a gente não faz nada, aliás, faz sim: Zoa os argentinos e critica quem faz charge com a nossa realidade...

É só mostrando, lembrando e fazendo piada do nosso problema que a gente tem alguma chance de não aceitar mais e querer mudar. E isso não é falta de respeito com quem sofreu violencia não, continuar aceitando essa situação ridícula que a gente vive é que é falta de respeito com quem morreu ou sofreu algum tipo de violência.

Sem contar que a maior violencia é cometida pelos políticos do nosso país. Eles prejudicam e roubam a mim, a você, ao povo carente, a todo mundo!

Anônimo disse...

Parabéns cartunista, você foi perfeito nos seus desenhos...nos fatos...
Só que o que me deixo pertubado, foi o fato de isso ter PROVADO QUE TODOS NÓS ESTAMOS DOENTES...
Qual a diferença dessa charge para a rede globo ???
Para mim nenhuma...mesmo não assintindo mais "TV".

SEUS DOENTES, AO INVÉS DE FICAREM NA ESCURIDÃO COVARDEMENTE, QUEM SE ATREVE A TIRAR ESSE CÚ SUJO E FAZER ALGUMA COISA DE ÚTIL PARA O PAÍS, JÁ QUE O "DEDINHO", TODO MÊS RECEBE SEU "INSS"...ETC

ALGUÉM PODE ME DIZER SE SABE PENSAR ???

Anônimo disse...

OI SOU O "ANÔNIMO" DE NOVO, É MUITO FÁCIL SABER QUEM EU SOU. BASTA NÃO SÓ DIVULGAR QUE A MÚSICA "DEIXO" É UM PLÁGIO...DESCULPE USAR O SEU MEIO DE DIVULGAÇÃO, MAIS É QUE TENTEI ATÉ OS LEGAIS E NÃO CONSEGUI...A MÍDIA SÓ FALA COM QUEM VAI LHES DAR DINHEIRO...

Rodrigo disse...

Impressionante o barulho que isso deu. Confesso que sou uma pessoa de opinião conservadora e, por que não dizer?, por vezes reacionária. Acredito que no ponto em que chegamos a PRIMEIRA atitude a ser tomada é a repressão forte. O que será feito depois, qual a política social a ser implementada, não sei, não sou nenhum especialista.
Entretanto, criticar o cartunista é demais. Cada um expressa sua opinião do jeito que lhe convém.

Rodrigo Souza, a.k.a. Sargento disse...

Leo, parabéns pelo seu trabalho no Extra. Acompanho-o todo dia, sendo a sua a segunda coisa a ser lida no diário (após as chamadas de capa, lógico...)

Quanto ao tópico, objetar e criticar é direito de qualquer um. Apenas acho que uma crítica deve ser embasada em algum tipo de lógica, e não no puro achismo empírico ululante que parece ser cada vez mais disseminado. Ainda mais em um ambiente democrático/pode-falar-merda-a-vontade que é um blog...

Cada um tem seu papel na sociedade e o seu, está claro, é o de usar a crítica social aliado ao humor ácido e sarcástico. Sucesso pra ti!

Rodrigo Souza, a.k.a. Sargento disse...

Aliás, Italo, congratulações pela sua lucidez em tentar explicar pra massa ignara (Sérgio Porto era foda!) a diferença entre os nomes dos bois (embora sinto que não tenha surtido muito efeito...)

Anônimo disse...

ALGUÉM PODE DIVULGAR ESSE PLÁGIO ???
JÁ TENTEI POR DIVERSOS MEIOS, SEM RESPOSTA, NÃO QUERO IR A JUSTIÇA, PORQUE É ÓBVIO QUE A/O JUIZ IRA AUMENTAR AINDA MAIS SUA CONTA BANCÁRIA...
SE QUISEREM, EU DIGO TODOS QUE LEMBRO QUE TENTEI ENTRAR EM CONTATO PARA FALAR COM ESSA FARÇANTE...

OCEANO disse...

SERÁ QUE SÃO TODOS COVARDES...ESTOU PRECISANDO DE AJUDA URGENTE, SENÃO SEREI MAIS UM MENDIGO NAS RUAS...
NÃO TENHO NADA NESSA VIDA PORQUE SEMPRE AJUDEI AOS OUTROS...VOCÊS SUGAM; VIRAM AS COSTAS; E AGORA NEM EU IMPLORANDO VOCÊS NÃO FAZEM NADA ???
SOU O "ANÔNIMO"...

OCEANO disse...

ESTOU DESESPERADO....PELO AMOR DE DEUS...ALGUÉM PODE ME AJUDAR ???

Lucilia disse...

Oceano Anônimo, deixa aí um contato seu já que seu assunto não tem a ver com o blog, né? Vc é músico? Não entendi nada.
Abraços!

André Luís. disse...

A violência no Rio de Janeiro já é caricata a muito tempo. Sou mineiro, e não conheço o cotidiano dos cidadãos cariocas. Mas a impressão que tenho ao acompanhar as notícias, seja pela mídia ou pelo poucos conhecidos que visitam sempre a cidade, é a de que o tráfico é a lei maior, e que com a ação desses grupos altamente organizados (e comandados não por quem mora nas favelas) o Estado ficava sem ação. Não sou a favor da matança, mas situações extremas como a do Rio exigem também medidas extremas. Em uma cidade onde a aparência e a impressão conta bastante, por ser uma das referências turísticas no Brasil, o governo deve tomar as providências para que imagens como a do filme "Turistas" nã se tornem realidade indiscutível. E imagina se em plena época de pan-americano e temporada de férias, com a cidade lotada, de turistas e de reportéres, o Rio pode se dar ao luxo de deixar traficantes terem a chance de estragar ainda mais a imagem de cidade maravilhosa...

carlos disse...

ok, a polícia e os políticos são bandidos, não prestam; a população não é corrupta e os traficantes são nossos heróis, defensores dos mais fracos...blz, é isso que sugere as piadinhas q vejo por aí.
Salve!salve! Beira Mar...

Mas falando sério eu acho bem ao contrário. A polícia e os políticos em grande parte são idealista que tbm são do povo,tentando mudar a triste realidade, mas muitas vezes são contaminados pelo jeitinho brazileiro que tambem vem do povo, que se julga vítima, e culpa o sistema. mas na verdade é vitima de seu própio carater brasileiro.

Leonardo disse...

ok, carlos, eu acho que você entendeu tudo errado.

Laryssa disse...

ME DIVERTI MUITO LENDO, TODOS OS COMENTÁRIOS, E ME DIVERTI MAIS AINDA LENDO AS RESPOSTAS DO "CARTUNISTA" OU DIRIA "CHATURNISTA"...
O quevou dizer agora me deixa profundamente irritada, mas terei que assumir - perdi meu tempo lendo as resposta deste ser Leonardo.
Pois embora se esconda atrás de desenhos sem graça, o que ele quer mesmo, é chamar atenção para a sua insignificância, por que se analisarmos com uma imensa boa vontade o que ele afirma em suas respostas, podemos facilmente chegar a está conclusão.
E se é isso que ele almeja, vamos deixar de fazer comentários para um ser que não está nem aí para a situação dos outros - ele só quer que os outros digam uma coisa que ele não crer, ou seja, que ele é bom e que seus desenhos são de um verdadeiro cartunista.
Ele deveria começar a se espelhar em pessoas verdadeiras, tipo as que moram nas favelas e que passam por situações que eu vou começar a torcer para que ele passe em dobro, caso a arrogância dele não o consuma antes, ou a sua total convicção de que não veio ao mundo para se preocupar com nada e com ninguém, apenas fazer desenhos ridículos e implorar por reconhecimento.
Pessoas como você cara, deveriam viver em locais isolados.
Espero que você um dia faça desenhos "engraçados" da sua própria vidinha vazia ou da sua desgraça. Por que a partir daí eu vou ter motivos para olhá-los e finalmente sorrir. Porque para mim serão diversão pura. E se você acha que a polícia está errada não tenha filhos e se tiver os prenda, porque mais cedo ou mais tarde um traficante vai cobrar a divida que o ser que você educou de acordo com os seus "achismos", adquiriu junto aquele.
E se você não concorda com a máxima "que bandido bom é bandido morto", adote um bandido!!!!