sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Tropa de rosa-choque

Na última parada gay aqui das redondezas (das redondezas lá de Copacabana), a grita da bicharada era pela criminalização da homofobia. Puóde?! Se o negócio do movimento gay é andar pra trás a ditadura é outra, claro que não pode dar em boa coisa. Daí pra algo tipo uma Lei do Rabo Livre, delegacia especializada( polícia super montada), política de cotas (com teste da farinha obrigatório para concurso público), entre outras viadagens, querem botar o de todo mundo na reta. Tá louca santa, orgulho gay pode mas orgulho de não ser gay vai ser proibido?

16 comentários:

T~* disse...

Se racismo é crime, por qual motivo não fazê-lo com a homofobia? Ninguém tá pedindo pra aceitar nada, é tudo questão de respeito.

Muito triste ver uma colocação desse tipo no blog. De qualquer forma, como piada ficou até legalzinho.. boa tentativa.

Continuo admirando seu trabalho mesmo assim. Parabéns pelas entradas anteriores a essa. Eram inteligentes...

revolt disse...

muito bem. reclamou, mas atualizou. tá hilário. agora te prepara para o apedrejamento de cristais svarovski (?) que a bicharada vai mandar.

Leonardo Zimbres disse...

Que puta veadagem. É claro que ... ah, deixa pra lá, o cartunista disse tudo. Quem não gosta tem mais que tomar no ...

Leonardo disse...

Racismo é estupidez, crime era pra ser outra coisa e homofobia me parece doença, t~*. Respeito disposições em contrário mas acredito que o conceito de igualdade já fundamentado em lei deveria servir a todo mundo, os entendidos que expliquem o motivo de se acharem mais especiais que os outros.
E que orgulho é esse de pedir, e aceitar, dinheiro público pra financiar passeatas onde nem ativistas, passivistas e demais facções se entendem. Leia alguns depoimentos de participantes da última parada gay em São Paulo ( http://pt.muestrarios.org/b/aviadagemancampandoapobrefobia.html ) e me diga quantos deles merecem cadeia.
Fica triste não, amiga, provocação também faz parte do meu negócio (é crime?) e aproveitando a preocupação do revolt com a possível reação da bicharada fica a questão: Se eu tivesse medo disso eu seria homofóbico?

Túlio disse...

sou gay e leitor do teu blog. Gostei dos cartoons mas achei infeliz teu comentário.
Uma coisa é não gostar, o que todo mundo tem direito de gostar do que quiser, outra coisa é desrespeitar, sem falar em matar, partir para violência etc, coisas bem comuns aí no brasil.
ninguém tá pedindo vaga na universidade ou algo do tipo, só um pouco mais de respeito mesmo.
espero que em algum próximo post abordando o tema, que tu seja um pouco mais consciente..

Anônimo disse...

Opa, muito boa, hehe, 10.
Oque ta faltando é a galera sacar que racismo ja era faz tempo, existe sim preconceito para pobre, agora se o rico é gay, amarelo, azul, mulher, etc, ai ninguem liga ne?

T~* disse...

Quer um motivo? O Brasil é o país que mais mata gays NO MUNDO. É isso mesmo que você leu. Não há país que cometa mais crimes contra homossexuais do que o nosso.

É o caso de usar a lei para equilibrar um desequilíbrio cultural. Eu não vejo problema nenhum em dar 'tratamento especial', se este se torna instrumento de garantir minha sobrevivência.

Já sobre a leitura que você recomendou, é extremamente preconceituoso e descontextualizado. A parada é um evento, uma celebração. Os organizadores aproveitam o ensejo, para incutir reivindicações políticas e sociais.

Favor não confundir! Nada disso tira da parada sua natureza festiva. Não é o momento de cobrar sobriedade e seriedade, muito menos de caracterizar todo o "movimento", usando por base quem está lá festejando da forma como lhe convier.

É como ir a uma micareta, parar para entrevistar héteros e chegar a brilhante conclusão de que só há no Brasil héteros consumistas e egocêntricos, que levam uma vida promíscua e desregrada...

Leonardo disse...

Túlio e t~*, por falar em matar, partir pra violência, etc, o crime independe de credo, cor, renda ou sexo dos envolvidos. Matam gays, índios, crianças, jovens, sem-terras, favelados, pedestres, motoristas, etc. Se há impunidade não é por falta de lei e a julgar pelos antecedentes de nossa justiça é mais fácil pecar pelo excesso. Corrigir a cultura dos mandatários daqui de legislarem em causa própria talvez seja mais complicado que juntar-se a eles em troca de privilégios para sua classe (clube, gueto, tribo, mundinho). Não se iluda que esse amor tem preço e as regalias, como sempre, para poucos.
Leis de proteção à "minorias", mais do que nunca, são um retrocesso, antes de ser gay, maconheiro, comunista ou botafoguense sejamos humanos pra reconhecer que apelar ao sistema penal não vai resolver esses complexos. Sem falar na política carcerária de inclusão sexual, onde ser ou não ser nem sempre é uma opção. Uma crítica em tom irreverente pode ser tomada como desrespeito, conceito tão vago para configurar crime quanto a fobia( medo irracional) entre semelhantes, infeliz é a idéia de criar por decreto mais uma classe de criminosos, vai faltar cadeia pra tanta gente.
Vocês têm todo direito de discordar mas minha consciência não tem sexo, sou pela livre gozação e não me orgulho nem me ofendo acerca de preferências sejam sexuais ou estéticas.
Quanto ao texto recomendei que se detivesse aos depoimentos dos participantes em relação a um contexto específico, uma manifestação pela causa gay, só pra exemplificar como é complicado criminalizar a moral alheia. Claro que convém ao "movimento" usar por base a multidão presente para capitalizar politicamente o que lhe convier, inclusive financiamento público, aqui caberia um mínimo de seriedade.
Passo longe de micaretas mas não creio que seja uma manifestação de héteros organizados para fins políticos, daí que não cabe a comparação.
Por fim, me declarar um lésbico, amarelo e amarrotado não aumenta meus direitos nem reduz os meus deveres, melhor que seja assim.

Elizabeth disse...

Gostei dos desenhos e da piada. Galera mais mal humorada rapaz! Vc tem que fazer uns desenhos com o profeta Mohammed pra ter um reconhecimento mais internacional.

Beralzir disse...

Leonardo, sou seu fã, e por isso eu indiquei seu blog em um meme que me chamaram. O nome é “meme da amizade(uiii)”, meme já é gay, ainda mais da amizada(uii). Não foi eu que dei o nome. Enfim, estou te convidando para participar também, é só indicar 10 blogs no seu blog.

Te indiquei pq me amarro no seu blog e pra mostrar pra galera que acessa meu blog oq eu vejo por ai.

Até

Túlio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Túlio disse...

Oi Leonardo
Lei no Brasil já tem bastante e também acho que é só fazer acontecer as que já existem [como o príncipio da isonomia que diz para tratar os iguais como iguais e desiguais como desiguais]. E lei defendendo "minoria" não dá certo, pq no fim no Brasil vira cartel. Infeliz da lei tbm, concordo.
nao achei infeliz tua "irreverência", achei infeliz o que tu falou mesmo. ninguém merece ser preso por nao gostar de dar o rabo, mas ao mesmo tempo acho que quem gosta de dar o rabo nao merece ser tratado como marginal. é bem complicado, viu? espero que um dia a tua consciência assexuada possa ver um pouco isso, e reproduzir coisas mais produtivas, como por exemplo pq até hj não legalizaram a parceria civil. não seria por interesse de minorias religiosas? Nao defendendo minorias ou afins, longe de mim. só to defendendo, como o teu direito de falar e ser "irreverente" como quiser, também o direito de qualquer um gostar do que quiser sem ser prejudicado por isso.

NãO Me CoMpreeNdA disse...

Olá,
Gosto muito de desenhar e me encontrei no seu blog. O máximo.
Sobre o desabafo: acho compreeensível. Vivemos em um tempo em que tudo é tão hipocritamente-politicamente-correto que qualquer posicionamento mais direto já ganha a conotação de acinte e dispara o gatilho da revolta... Mas, tudo bem.
É por essas e outras que coloquei o título de "não me compreenda" em meu humilde blog...

Vanessa Vendramini disse...

Ninguem aih nunca contou uma piada de anao? de portuga? de prostituta? sobre impontencia? de peitudas? de louras? affe, gente, piada eh piada! Quem quiser vestir a carapuca, vai em frente.

Mandou bem Leo.

Saia do meu trem! disse...

Além de desenhar mal, ainda por cima tem idéias toscas.

(é a minha opinião!)

Rafa Pros disse...

Bom, to achando seus desenhos muito bons (apesar de não ser especialista no assunto). E acho muito mais doido pq vc vai expondo as nossas entranhas de uma maneira foda, com muito humor. Tb tenho preguiça desse papo politicamente correto e o q for, mas não acho q é o caso dessa discussão.
Tb como um pessoal daqui de cima não gostei do comentário, pq não concordo contigo. Acho que se começarem a gozar, bater e matar botafoguenses, vamos juntar na rua e falar "ó parem de matar botafoguenses".
e é isso q fazem com homossexuais, travestis, pobres, moradores de rua, putas.. etc. Espancam e matam.
Acho que o importante dessa discussão toda é menos o aparato legal, juridico, o tratamente diferencialista e mais trazer pra consciencia e pra discussão aí, que tem gente que olha para um homossexual, e diz: "Vão lá bater naquela bichinha". E isso é sério pra caralho, pq acontece e muito.